terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

O papa-açorda Francisco e a capitulação ética da Igreja Católica

 

“Everyone is aware of how sensitive the Church is to ethical issues but perhaps it is not clear to everyone that the Church does not lay claim to a privileged voice in this field…,”

Pope: Church does not claim privileged voice in bioethics field

papa-burro-webO papa-açorda Francisco defende a ideia segundo a qual a Igreja Católica deve abdicar de juízos de valor em matéria de ética; ou, pelo menos, defende a ideia de que os juízos de valor éticos da Igreja Católica não são importantes. Estamos em presença de uma capitulação civilizacional.

É muito difícil caracterizar este papa, porque estamos em presença de um burro que diz, em uma mesma circunstância, uma coisa e o seu contrário. Cheguei à conclusão de que não se trata apenas de ambiguidade: ele é mesmo burro, tem limitações intelectuais graves.

Se o burro papa-açorda Francisco retirasse conclusões daquilo que afirmou, verificaria que a opinião dele (acerca da não-importância da Igreja Católica em questões éticas) não tem importância nenhuma — e por isso mais valeria que ele estivesse calado.

1 comentário:

  1. http://caminante-wanderer.blogspot.pt/2016/01/vatican-psycho.html

    ResponderEliminar

Neste blogue não são permitidos comentários anónimos.